Em entrevista ao Programa Paraíba Tem, o presidente do Sindicato da Indústria da Cerâmica Vermelha na Paraíba (Sindicer/PB) e vice-presidente da Associação Nacional da Indústria Cerâmica (Anicer), João Gomes de Andrade Neto tratou de aspectos que fortalecem o setor cerâmico na Paraíba.

De acordo com João Gomes, as indústrias do setor cerâmico se focam nas grandes cidades, abrangendo quase todos os municípios e regiões do país. E essa capacidade produtiva, das quase 9 mil empresas, gera trabalho para 1.250.000 pessoas, de maneira direta e indireta, correspondendo a 5% do PIB da construção civil do país. “Esse é um número bem expressivo já que a construção civil tem se expandindo nesses últimos anos, com os programas de desenvolvimento do governo”, destacou.

Para o entrevistado, o setor de cerâmica vermelha teve crescimento nos últimos anos em conjunto com a construção civil, que “cresceu muito junto com os programas do governo: o PAC, Minha Casa, Minha Vida. E isso trouxe um desenvolvimento muito grande para as indústrias” afirmou João Gomes.

E com esse crescimento dos últimos anos, o presidente do Sindicer/PB ressaltou ainda, que as empresas paraibanas estão bem estruturadas: “com essa expansão, nos últimos cinco anos. de 2010 para cá, as empresas potencializaram muito o desenvolvimento delas, com novas máquinas, novas consultorias, com mais gestão. [...] E isso fez, não só com que elas crescessem em produção, mas também em produtividade”.

E mesmo hoje, com essa recessão econômica que nós estamos e com certa capacidade ociosa pela baixa da própria construção civil, o fortalecimento por meio da industrialização nos permite “capacidade de atender ainda muita demanda do mercado e com ótimos produtos”, enfatiza João Gomes.

Assista a entrevista completa abaixo: