A pesquisadora Danielle Maia, uma das colaboradoras da ACV dos produtos cerâmicos, lançou o site da Rede de Pesquisa em Avaliação de Impacto do Ciclo de Vida (RAICV). O grupo é formado por 17 pesquisadores de diferentes instituições engajados no desenvolvimento e aprimoramento dos modelos de AICV no Brasil.

A RAICV foi fundada em 2014 por membros da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), Universidade de São Paulo (USP-São Carlos), Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE), Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) e Instituto Federal Sul Riograndense (IFSUL).

A página reúne publicações, atividades dos participantes da rede, eventos, como congressos, jornadas científicas, entre outros conteúdos relacionados aos estudos sobre impactos de ciclo de vida.

O objetivo do canal é apoiar a formulação de políticas públicas, por meio da transferência, disseminação e intercâmbio de conhecimento com governo, empresas e sociedade e contribuir com a Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), por meio da proposição conjunta de projetos de pesquisa, de publicações técnico-científicas e de livros.

Além disso, a rede espera que a página ajude a fomentar a educação científica e a formação de novos pesquisadores, por meio da inclusão de alunos de iniciação científica, mestrandos, doutorandos e pós-doutorandos nas atividades promovidas pela rede e potencializar a formação e a interação entre grupos de pesquisa existentes no desenvolvimento, no aperfeiçoamento e na aplicação dos métodos de avaliação de impacto do ciclo de vida.

A página da RAICV pode ser acessada AQUI.

CERÂMICA – O trabalho encomendado pela Anicer à empresa canadense Quantis revela que os produtos cerâmicos apresentam um desempenho ambiental superior ao dos concorrentes. A ACV da cerâmica foi produzida entre os anos de 2010 e 2012.

Foram considerados os impactos ambientais produzidos por telhas e blocos cerâmicos, desde o momento da extração da matéria-prima até o descarte final, levando em conta questões como uso de energia, emissões de poluentes no ar, retirada de água, contaminação de solo e águas, impacto nas mudanças climáticas e na saúde humana.

 

Fonte: Portal da Anicer