image

Nesta quarta-feira (18), a partir das 8h30, acontece na sede do Instituto Nacional do Semiárido (Insa/MCTI), em Campina Grande (PB), o encontro “Perspectivas para sustentabilidade do setor cerâmico da Paraíba”.

O objetivo é apresentar resultados do trabalho de capacitação e assistência técnica, realizado no período de 2013 a 2015, visando melhorar o processo produtivo das empresas de cerâmica vermelha localizadas em polos industriais da caatinga.

O trabalho envolveu a inserção de boas práticas de eficiência energética e manejo florestal nas 18 empresas beneficiadas pelo projeto e foi realizado pela Fundação Parque Tecnológico da Paraíba (PaqTcPB) e o Centro de Produção Industrial Sustentável (Cepis), como parte do contrato de prestação de serviço firmado com o Serviço Florestal Brasileiro (SFB).

O conjunto de iniciativas a ser apresentado reflete o esforço das instituições executoras do projeto em relacionar o combate à desertificação às estratégias garantidoras de uma produção florestal sustentável, como forma de assegurar a continuidade do fluxo de energia renovável, promovendo a conservação da biodiversidade e as funções dos ecossistemas.

Eficiência energética

Durante o evento, o Ministério do Meio Ambiente (MMA), por meio do Departamento de Combate à Desertificação (DCD), e o Cepis, em parceria com o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) também irão apresentar as linhas de ação para implantação do Projeto de Segurança Energética para as Empresas integrantes da Associação de Cerâmicas Vermelhas do Seridó e Sertão da Paraíba (Solidos).

Lançado em fevereiro deste ano, o “Programa de Fomento Florestal para Segurança Bioenergética Florestal da Solidos” envolve 60 microempresas e se apresenta como estratégia inovadora no combate à desertificação, na busca de definir estratégias alinhadas às iniciativas do Programa de Combate à Desertificação e do Programa de Desenvolvimento Florestal do Estado.

Ações do projeto

As ações do projeto envolveram a participação de empresas dos polos industriais de cerâmicas vermelhas da Paraíba, do Rio Grande do Norte e de Pernambuco.

Inicialmente foi feito um diagnóstico da realidade da produção cerâmica na região do Seridó, que resultou na estruturação de intenso programa de capacitação direcionado a esse conjunto de empresas, por meio de ações coordenadas de articulação e fortalecimento dos arranjos interinstitucionais.

No período de 12 meses foram oferecidas quase 3 mil horas de assistência técnica a esse grupo de empresas, focada na implantação de boas práticas no cotidiano das empresas, por meio de palestras, medições, análise da matéria-prima e constante acompanhamento de um Plano de Ação definido para cada empresa durante os cursos de capacitação oferecidos.

A coordenadora do projeto, Aluzilda Oliveira (Cepis/PaqTcPB), ressalta os impactos positivos das cerâmicas na economia regional, daí a importância de tentar fortalecer assegurando a sustentabilidade de sua matriz energética.

“As mais de 100 empresas de cerâmica vermelha da Paraíba desempenham um papel importante no cenário econômico do estado gerando renda e oferecendo mais de 3500 empregos diretos, contribuindo efetivamente com o desenvolvimento do estado”, afirma a coordenadora do projeto.

O evento contará com a participação de microempresários, consumidores de lenha, instituições de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), órgãos públicos, universidades e sociedade civil.

image